Claudio, inove!

Claudio, inove!

Claudio Inove nasceu no interior do Ceará, em uma cidade onde nem havia luz elétrica. Filho mais novo de dez irmãos, sendo ele adotivo, nunca se contentou com a vida pacata. “Sempre tive um incômodo muito grande com o conformismo”, destaca Inove. Hoje ele é micropigmentador de renome em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, mas trilhou uma longa história até chegar lá. Direto de lá, o proprietário da Skin Aesthetics falou com o MagBlog sobre sua trajetória.

Nascido Claudino Teixeira, deixou o nome mais fácil para se ouvir e falar: Claudio Inove. Para ele, o nome na verdade é mais do que um modo de ser chamado, é um mantra pessoal: Claudio, inove! Inove de inovar, de fazer o novo, de transformar.

E esse jeito irriquieto vem assim desde pequeno, ele conta. Mas a primeira grande chance de inovar veio aos 13 anos. Inove ganhou uma passagem de ônibus de sua terra natal até São Paulo. Seriam duas semanas na metrópole. Mas esses 15 dias viraram 15 anos. Trabalhou como lavador de carros e mecânico de caminhões, cursou faculdade de Tecnologia da Informação, de Administração de Empresas e de Design; todas, segundo ele, com menos conteúdo da área de Humanas do que gostaria. “Sempre tive barreira com as Exatas.”

Enfim, percorreu uma extensa jornada até chegar no ramo de estética e beleza. “Me descobri quando fiz formação superior em Cosmetologia e logo abri minha clínica”, lembra Claudio Inove. “Resolvi montar a primeira empresa sem ter onde cair morto. Corria o risco, mas, mesmo assim, acredito tanto no meu trabalho que fui. Sei que as clientes querem cuidados e gosto de pessoas, de conversar, e de fazer com que a vida delas melhore”, complementa.

Mas os sites de compras coletivas vieram logo em seguida, o que tornou a concorrência com as grandes clínicas, já estabelecidas, desleal. Claro que isso não foi barreira para ele.

Neste tempo, Claudio Inove conheceu a micropigmentação. No dia seguinte ao curso de cinco dias, começou a atuar como micropigmentador e não parou mais. “No terceiro mês tinha em média seis clientes por dia, com um valor de sessão entre 300 e 400 reais”, lembra.

No entanto, ele, irriquieto como sempre, também queria que seus funcionários aprendessem a micro. E não deu certo. “Na minha cabeça era algo fácil de se aprender, mas não foi assim. Eles não aprenderam e se recusaram a trabalhar com micro”, conta Inove.

O micropigmentador recorda, ainda, que os três anos da faculdade de Design foram fundamentais também para a rápida absorção da nova técnica.”A cada dia que passava mais encantava mais com a micropigmentação. O desenho é algo que amo”, aponta.

Falando em desenho, para ele, essa obsessão por linhas é algo abaixo do que a micropigmentação pode fazer no rosto de uma cliente. “O que importa é o shape e a cor. O que sobressai no final é a textura e a saturação. A mais de 20 cm da pessoa nem vê o fio”, analisa Inove. “E o que me motiva é transformar a vida das clientes ainda que seja por pouco tempo. Isso me satisfaz muito”, complementa.

Claro que para o Inove, estar bem estabelecido no Brasil não era o suficiente. Juntou suas economias e partiu para Dubai. Hoje, depois de seis anos nas Arábias obteve licença das rigorosas autoridades locais para, além de fazer micropigmentação, ministrar aulas. “Vim para cá buscando o que vejo como luxo para mim: não ter que esconder o celular ou sacar dinheiro do caixa eletrônico com tranquilidade. São Paulo tem uma rotina de trânsito e de insegurança. Finalmente consegui minha licença. Estou  construindo uma base sólida para mim mesmo, sozinho, sem família e amigos. Em um ano era o profissional mais procurado. Me tornei famoso entre os médicos. Minha vida não parou. Alimentei o sonho da própria empresa e consegui”, afirma.

Olhando o Brasil de fora, ele vê que por aqui não devemos nada para o que acontece no Exterior em termos de micropigmentação. “Coloco o Brasil como melhor país do mundo em micropigmentação por conta dos nossos profissionais, pelas técnicas e pelas empresas. Quando falo que sou brasileiro sempre ganho um sorriso. E aqui fora tenho essa missão de fazer que as pessoas se lembrem do Brasil de uma forma positiva.”

Claudio Inove vai falar de sua história de vida e sua experiência como micropigmentador na 15ª Jornada de Micro, dias 1º e 2 de outubro. Ao MagBlog ele disse que vai ser sua última participação em um congresso. A gente torce que não, mas por via das dúvidas, garanta sua vaga para ver o micropigmentador brasileiro que faz sucesso em Dubai de perto.

 

 

 

Share

Comments

  1. Gisele de Paulo: setembro 6, 2017 at 9:38 pm

    Sou super fã e admiradora desse meu conterrâneo “porreta”, como se diz aqui no Ceará. Grande exemplo de garra , determinação e coragem. És digno de respeito por tudo que fez e faz as pessoas ao seu redor, independente de proximidade pessoal. Esse ser humano singular vale a pena modelar . Parabéns Cláudio por ser esse autêntico inconformado. Bjs!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *